Arquivos do Blog

Versículo do dia

photo 2

Anúncios

Crônicas do Mundo – Relatos de uma sociedade sem Deus e contra o próprio Deus

As manifestações contra as opressões sociais.

Já algumas semanas vêm ocorrendo uma série de manifestações em diversos lugares do nosso país e todos vocês devem ter acompanhado porque nos noticiários não se fala em outra coisa, e muitos me perguntam o que estou achando se, eu fui ou não. Devido ao fim de semestre na faculdade e algumas complicações na área da saúde, infelizmente eu não pude comparecer aos protestos embora gostaria de ir, mas mesmo assim darei a minha opinião da forma mais imparcial possível e sob a visão religiosa. Vamos lá!

Primeiramente quero dizer a vocês que o aumento das passagens de ônibus foi apenas o estopim da dinamite e segundo, não foi uma coisa que vem acontecendo de uma hora pra outra, pois o barril da dinamite vem se enchendo a tempo. O aumento das passagens, os gastos excessivos com a copa, o aumento da corrupção e violência, a economia crescendo a passos lentos foram alguns dos motivos para explodir a revolta e a indignação do povo brasileiro. Fora os demais problemas sociais que milhares de brasileiros enfrentam como saúde, educação, moradia, segurança, transporte público de qualidade. Tudo isso foi se acumulando até que o povo disse: “basta!” e resolveu sair às ruas para protestar e lutar pelos seus direitos e por mudança no atual quadro brasileiro.

Muitos analistas, intelectuais e especialistas, bolam teorias pra explicar a ocorrência de tal fenômeno. Para mim é algo bem simples: ninguém está satisfeito com a atual situação do pais em todos os sentidos, independente de classe social, preferência política, ideológica, religiosa, sexual etc., enfim todos estão insatisfeitos e clamam por mudanças, colocando a classe política contra a parede deixando-a acuada. As manifestações são apartidárias e antipartidarias devido à descrença do povo com os partidos políticos, pelo fato de representarem somente seus interesses e a desilusão com o PT que traiu suas bandeiras para ao chegar ao poder, agindo da mesma forma e até pior que os seus adversários.

Enfim, gente de todo tipo, de todas as classes e todas as formas de visão e pensamento possível, integraram as manifestações. Fora os oportunistas, os baderneiros, vândalos, ladrões que aproveitando a oportunidade, colocaram em pratica suas ações, o que acaba de certa forma denegrindo o caráter dessas manifestações, sem contar à mídia que antes era contra classificando essas pessoas como vagabundos, baderneiros, agora é a favor devido ao fato de muitos jornalistas terem sido presos, atacados com tiros de bala de borracha, gás lacrimogêneo, agressões por parte de policiais, mudou radicalmente a opinião da mídia. Sem contar alguns artistas, intelectuais, políticos, jornalistas, que aproveitaram a ocasião para se promoverem.

De um lado foi bom por que essas ondas de manifestações ocorrem no momento certo, ou seja, durante a copa das confederações onde o mundo inteiro está de olho no Brasil, tirou o povo da inércia, saindo do seu comodismo e indo para as ruas fazendo valer seus direitos e exercendo sua cidadania. Do outro lado, percebi a falta de foco, enquanto uns pedem passe livre, fim da corrupção, melhor sistema de saúde, educação de qualidade, outros pedem criminalização do aborto, mais casas populares, a volta do regime militar, ou seja, cada grupo protestando por uma série de motivos e pedindo uma série de coisas. Pedindo tudo, mas ao mesmo tempo pedindo nada.

Claro que aqueles que foram lutar conseguiram algumas conquistas como a redução do aumento das tarifas de ônibus em diversas cidades dentre elas São Paulo, algumas cidades já conseguiram o passe livre estudantil, a não aprovação da PEC 37 que impediria o MP de realizar as investigações, o congresso já está discutindo sobre a possibilidade de se realizar uma reforma política, condenação de um deputado envolvido em corrupção, tudo isso já é um avanço. Alguns movimentos que se organizam na internet, resultam em 99% dos protestos planejando pautas para pressionar a classe política e fazer com que atendam suas exigências, mas não sabemos até onde isso vai dar e até quando o povo terá essa disposição, já que muitos foram às ruas sem saber o porquê, outros por que estavam brincando de Che Guevara, outros achando que aquilo ali era uma festa, postando foto no Facebook como se estivesse indo a um passeio. Essas pessoas são perigosas, não por que causam tumulto ou coisa do tipo, mas por que podem ser manipuladas facilmente por pequenos grupos interessados que as manifestações tomem um rumo de acordo com suas vontades. Existe uma grande massa de pessoas despolitizadas no nosso pais e que necessitam de conscientização. Cabe a cada um de nós individualmente, trazermos esclarecimentos a essas pessoas principalmente às da igreja, da maneira mais imparcial possível para que não se tornem massa de manobra. Deixo algumas mensagens bíblicas para meditação e se necessário voltarei a falar do tema novamente.

“Por isso, deixando a mentira, fale cada um à verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros” Efésios 4.25.
“Mas a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações.
O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz.
Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como exultam quando se repartem os despojos.
Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas.
Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, será queimado, servindo de combustível ao fogo.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para firmá-lo e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto.
O Senhor enviou uma palavra a Jacó, e ela caiu em Israel.”. Isaías 9:1-8.

Fabio Rodolpho

E ai????

image

Vai entender…

image

Versículo do dia

2 Samuel 22:19-20 NTLH

“Quando eu estava em dificuldade, eles me atacaram; porém o Senhor Deus me protegeu,  me livrou do perigo e me salvou porque me ama”.

Em meio a insegurança pessoal e social, há Um porto seguro ETERNO. Sejamos tementes, prudentes, sábios e humildes para não naufragarmos! Ótima semana!!!

Mais fácil né???

image

Crônicas do Mundo – Relatos de uma sociedade sem Deus e contra o próprio Deus

Os perigos da Autoajuda e Auto- Estima parte 3

Nas últimas duas crônicas sobre esse tema, abordei sobre os perigos que a autoajuda representa tanto para o mundo quanto para a igreja, e na última parte irei falar sobre a autoestima, palavra conhecidíssima em nosso meio e procurar alerta-los sobre os perigos desse tipo de ênfase nas pregações cristãs dentro das igrejas.

O movimento da autoestima tem seus fundamentos mais recentes na psicologia clínica, isto é, nas teorias da personalidade elaboradas por Wiliam James, Alfred Adler, Erich Fromm, Abraham Maslow e Carl Rogers, cujos seguidores popularizaram o movimento. Contudo, as raízes do movimento da autoestima retrocedem aos primórdios da história humana.

Tudo começou no terceiro capítulo de Gênesis. Inicialmente, Adão e Eva tinham consciência de Deus, consciência um do outro, das coisas à sua volta e não de si próprios. A percepção de si mesmos era incidental e secundária na sua focalização em Deus e um no outro. Adão compreendia que Eva era osso dos seus ossos e carne de sua carne (Gen. 2.23), mas não estava consciente de si do mesmo modo que seus descendentes seriam. O ego não era problema até a queda. Comer da árvore do conhecimento do bem e do mal não trouxe a sabedoria divina. Resultou, sim, em culpa, medo e na separação de Deus. Assim, quando Adão e Eva ouviram que Deus se aproximava, esconderam-se entre as árvores, mas Deus os viu e perguntou: “Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?” (Gen. 3.11). Adão e Eva responderam dando-nos o primeiro exemplo de auto justificação.

Primeiro Adão culpou Eva e Deus, e então Eva culpou a serpente. O fruto do conhecimento do bem e do mal gerou o ego pecaminoso representado pelo amor-próprio, autoestima, auto aceitação, auto justificação, hipocrisia, auto realização, auto difamação, auto piedade, e outras formas de auto focalização e egocentrismo. Desse modo, o atual movimento da “auto etc…”, tem suas raízes no pecado de Adão e Eva. Através dos séculos, a humanidade continua a se deleitar na árvore do conhecimento do bem e do mal, que tem disseminado seus ramos do saber mundano, incluindo as vãs filosofias humanas e, mais recentemente, as filosofias “científicas” e a metafísica da psicologia moderna.

Do berço ao túmulo, os defensores do ego prometem a cura de todos os males da sociedade por meio de doses de autoestima, valor-próprio, auto aceitação e amor-próprio. As fórmulas religiosas do valor-próprio, do amor-próprio e da auto aceitação escorrem do tubo da televisão, fluem pelas ondas do rádio e seduzem através da publicidade e todo mundo, ou quase todos, repetem o refrão: “Você só precisa amar e aceitar a si próprio como você é. Você precisa se perdoar”, e: “Eu só tenho de aceitar-me como sou. Eu mereço. Eu sou uma pessoa digna de amor, de valorização, de perdão.”.

Jesus nos ordena mas que amemos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. A Bíblia apresenta uma base para o amor completamente diferente daquilo que a psicologia humanista anuncia. Ao invés de promover o amor-próprio como a base para amarmos os outros, a Bíblia diz que o amor de Deus é a fonte verdadeira. O amor humano é misturado com o amor-próprio e, em última análise, pode estar em busca de seus próprios interesses. Mas o amor de Deus entrega a si mesmo. Portanto, quando Jesus convida Seus discípulos a negarem a si próprios e tomarem sobre si o Seu jugo e a Sua cruz, Ele os conclama a um amor que doa a si mesmo, não há um amor que satisfaz a si mesmo. Até o advento da psicologia humanista e de sua intensa influência na igreja, os cristãos geralmente consideravam a autoestima como uma atitude pecaminosa.

Há alguns anos, o legislativo da Califórnia aprovou o projeto de criação da “Força-Tarefa Californiana para Desenvolver a Autoestima e a Responsabilidade Social e Pessoal”. O legislativo reservou para o projeto 245.000 dólares ao ano durante três anos, num total de 735.000 dólares. O duplo título da Força-Tarefa foi realmente muito pretensioso. Ninguém nunca conseguiu demonstrar que o estímulo à autoestima está de algum modo, ligado com a responsabilidade social e pessoal, nem se provou que todos aqueles que demonstram responsabilidade social e pessoal possuem autoestima elevada. Na verdade a autoestima e a responsabilidade social e pessoal têm relação negativa e não positiva. Muitas pessoas definem a autoestima como sentimentos de valor baseados em suas habilidades, realizações, posição social, recursos financeiros ou aparência. Esse tipo de autoestima pode levar uma pessoa a se sentir independente e arrogante, e acabar participando de louvor próprio, o qual atrapalha nosso desejo por Deus. Tiago 4:6 nos diz: “Antes, Ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Se confiarmos apenas em nossos recursos terrenos, inevitavelmente acabaremos com um sentido de valor baseado em orgulho. Jesus nos disse: “Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizeis: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer” (Lucas 17:10).

Isso não significa que as pessoas não devam se dar ao valor, apenas significa que o sentimento de ser uma boa pessoa não deve depender do que fazemos, mas de quem somos em Cristo. Devemos nos humilhar diante Dele, e Ele vai nos honrar. Salmo 16:2 nos relembra: “A minha alma disse ao SENHOR: Tu és o meu Senhor, a minha bondade não chega à tua presença”. As pessoas conseguem valor próprio ao possuir relacionamento correto com Deus. Podemos saber que temos valor porque Deus pagou um alto preço por nós através do sangue do Seu Filho, Jesus Cristo.

A Bíblia nos diz que Deus nos deu valor quando Ele nos comprou para ser o Seu povo (Efésios 1:14). Por causa disso, apenas Ele é digno de honra e louvor. Quando temos uma estima sadia, nós nos valorizaremos o suficiente para não participarmos do pecado que escraviza. Ao contrário, devemos agir com humildade, considerando outras pessoas superiores a nós mesmos (Filipenses 2:3). Romanos 12:3 nos adverte: “Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um”.

Fontes: http://www.gotquestions.org/Portugues/auto-estima.html
http://www.chamada.com.br/mensagens/auto-estima.html
Martin e Deidre Bobgan BDM 12/97 – extraído e/ou adaptado das edições 3-4 e 5-6/96 da PsychoHeresy Awareness Letter – http://www.chamada.com.br).

Fabio Rodolpho

Crônicas da Igreja – Um relato da condição da igreja nos últimos dias

A Falta de Caráter Cristão

Pensando nesse tema dentro da igreja não foi difícil encontrar notícias de líderes envolvidos em escândalos como corrupção, desvio de ofertas, adultério, briga entre irmãos, muitas resolvidas na justiça e outras no tapa, ódio racial, ódio homofóbico, macumba gospel e por ai vai, demonstrando total falta de caráter cristão em suas atitudes. Agora eu pergunto a vocês: Como uma pessoa com desvio de caráter na liderança da Igreja poderá conduzir outras a serem verdadeiramente cristãs? Muitas vezes os liderados são o reflexo de seu líder. Um pastor mau caráter produzirá ovelhas sem caráter.

A bíblia é muito clara ao dizer que pelos seus frutos (atitudes) conhecerão verdadeiramente quem tal pessoa é (MT 7:16; 20), embora o contexto da mensagem esteja se referindo aos falsos profetas, essa mensagem pode perfeitamente ser aplicada no caso de supostas pessoas que se dizem cristãs, mas que com suas atitudes demonstram ser outra coisa totalmente diferente, levando mal testemunho para o mundo, denegrindo a imagem da Igreja e desonrando o nome de Deus, jogando o nome de Jesus “na lama”, afastando mais e mais a pessoa de Cristo. Não é nada de outro mundo ouvir pessoas de fora igreja comentando que tal pessoa que se diz crente fez isso e aquilo e que para ser desse jeito jamais irá para igreja e muito menos seguir a Jesus, pessoas que se desviaram por causa de uma atitude antiética de um irmão.

Embora a comunidade evita a todo custo tocar nesse tipo de assunto sabemos que há entre nós pessoas dentro da igreja que são aquela benção, mas fora dela são péssimos patrões maltratando, explorando os seus funcionários, não lhe pagando o que devem, negando os seus direitos, pessoas que trapaceiam nós negócios ganhando dinheiro de maneira ilícita, pessoas desonestas no serviço, que passam por cima de qualquer um para conseguir subir de cargo, pessoas fofoqueiras semeadoras de intriga, contenda, desordeiras, sem palavras, insubordinadas, maliciosas, avarentas, ciumentas, invejosas, orgulhosas, arrogantes, vaidosas, mentirosas, matricidas, parricidas, insensatas, e se você duvida do que eu falo, procure ler Romanos 1 do versículo 28 ao 32. Para aqueles que pensam que eu estou julgando, leiam 1 Coríntios 6 do versículo 2 ao 4 e depois me diga qual é sua interpretação.

Enfim vemos falta de caráter cristão desde grandes atitudes até atitudes pequenas como pegar uma coisa emprestada e não devolver, não devolver o troco a mais que recebeu da padaria, vender aquilo que está não muito bem conservado e dizer que está novinho em folha, furar fila no banco, estacionar em locais proibidos, não dar lugar aos mais velhos na frente do ônibus fingido que está dormindo, colar dos colegas nas provas e depois dizer que Deus o abençoou com a nota, pagar pessoas para desenvolver o trabalho que você deveria estar fazendo, matar aula e justificar com atestados médicos comprados, pagar taxa para ser aprovado no exame da carta de motorista, não tendo diferença entre pecadinho e pecadão, pois aos olhos de Deus pecado é pecado!
Esses pequenos “desviozinhos” que mencionei são frutos do famoso jeitinho brasileiro e a lei de Gérson aonde a pessoa gosta de levar vantagem em tudo se aproveitando das situações em benefício próprio não se importando com questões éticas e morais.

A expressão originou-se em uma propaganda, de 1976, para os cigarros Vila Rica, na qual a meia armador Gérson da Seleção Brasileira de Futebol era o protagonista. A propaganda dizia que esta marca de cigarro era vantajosa por ser melhor e mais barata que as outras, e Gérson dizia no final: “Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também” (Gérson).

Mais tarde, o jogador anunciou o arrependimento de ter associado sua imagem ao reclame, visto que qualquer comportamento pouco ético foi sendo aliado ao seu nome através das expressões Síndrome de Gérson ou Lei de Gérson.

Ao abrirmos a Bíblia em 2 Timóteo cap. 3 o apostolo Paulo diz:
“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé”.

Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles. (2 Timóteo 3:1-9). As pessoas a quem o Apostolo Paulo se refere são os falsos mestres e pessoas religiosas (VS cinco) e embora o texto foi escrito por 67 ou 68 d.C., nos parece muito atual para os nossos dias, e creio que isso é fruto do cumprimento da palavra avisando que nos últimos dias essas coisas iriam acontecer e de fato é o que presenciamos hoje em nosso meio. Glória a Deus pela Sua palavra por ser viva, verdadeira e eficaz!

A tendência é somente piorar com o passar das gerações, pois acredito que deveríamos investir mais no ensinamento do caráter dos crentes e do que ensina-los a contribuir, empreender, realizar os seus sonhos, ganhar dinheiro como vemos hoje. Como o tema é muito rico eu continuarei no próximo artigo, mas deixarei essa palavra para meditação e encerramento: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às fontes da vida”. (“PV 4.23)”

Fabio Rodolpho

Versículo do dia

Provérbios 4:23 NTLH

“Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos”.

Que o nosso pensar e agir seja Deus pois Dele procede a vida eterna e perfeita! Ótima semana!

Contraditório, não é mesmo?

image

%d blogueiros gostam disto: